A CIDADE

A cidade de Santo Antônio de Jesus, também denominada de Cidade das Palmeiras, devido as suas palmeiras seculares, é uma das mais importantes cidades do recôncavo baiano. No início, havia apenas descendentes dos índios de Pedra Branca, vivendo da caça, pesca e pequenos roçados. Os primeiros colonos foram chegando atraídos pela excelência das matas e fertilidade das terras. Em 1663, através de uma carta régia, foi delimitada uma área referente a uma légua quadrada de terras para aldeamento e sustento dos silvinícolas que ali se encontravam. Entre os que obtiveram patrimônios territoriais, constam os índios da Aldeia de Santo Antônio de Jesus.

Estudos levam a crer que em 1644 foi concedida a Antônio de Souza Andrade e João Borges de Escobar, a mais antiga sesmaria e a que mais se aproxima dos limites atuais do município de Santo Antônio de Jesus. A atuação dos Padres Matheus Vieira de Azevedo, José Ferreira e Bento Pereira, foi de grande importância na história da colonização. O Padre Matheus Vieira de Azevedo possuía um imóvel em Nazaré onde realizava missas e batizados. Algum tempo depois, adquiriu uma propriedade rural nas proximidades do rio Sururu, onde fixou residência e lá ergueu um oratório sob invocação a Santo Antônio. O Padre Matheus cultivava mandioca e produzia, com algumas dezenas de escravos, subprodutos em quantidade considerável.

Em pouco tempo, o oratório tornou-se ponto de convergência de uma região cada vez mais ampliada, levando o Padre a doar um quarto de meia légua em quadra de suas terras para construção de uma capela, por escritura pública lavrada em 27 de setembro de 1776. Sendo assim, os moradores mais próximos, assíduos e dedicados freqüentadores do oratório reuniram se e fundaram uma irmandade, na qual a discussão de um projeto resultou, em 23 de setembro de 1777, no início da construção e fundação da capela, pelo arcebispo metropolitano da Bahia, filiada a freguesia de Nossa Senhora de Nazaré, em cujas roças estava situada.

Dois anos depois, em 1779, a capela do Padre Matheus estava concluída e, daí por diante, novos moradores foram surgindo e erguendo suas casas ao redor da mesma, formando, assim, um núcleo urbano. A população foi crescendo e atraindo prestadores de serviços, negociantes, mascates, armazéns de secos e molhados, etc...Doze anos após a construção e funcionamento da capela, faleceu o Padre Matheus, em 12 de março de 1791.
Os anos passaram, o povoado foi se organizando e, por volta de 1832, foram criados e instalados o Juizado de Paz, a Guarda Nacional, escolas públicas e particulares, e a capela templo transformou-se em capela-arraial ao lado de seu comércio crescente.

Vista da Avenida Urcisino Pinto de Queiroz, centro da cidade.

Em 1852, o arraial passou a ser povoado e a capela do Padre Matheus transformou-se em Igreja Matriz.

Em 29 de maio de 1880, o povoado é elevado à categoria de Vila, ficando, assim, desmembrado de Nazaré, pela lei n° 1952. Nesse mesmo ano, a 7 de setembro, foi inaugurada a estrada de ferro, da qual Santo Antônio de Jesus seria fim-de-linha durante dez anos. Com isso o comércio local tomou grande impulso e engrandeceu a população.

Viajantes de toda parte descarregavam e recebiam mercadorias, e a capela do Padre Matheus, agora Vila, logo se destacou entre todos os lugarejos mais velhos, com a construção de novos prédios comerciais, mansões, palacetes e com a fixação de operários. A freqüência de jornais da capital, de Nazaré e Maragojipe dava à população dinamismo novo. Em 30 de Junho de 1891, o governo do estado resolve elevar Santo Antônio de Jesus à categoria de cidade.

Surgem novas obras: calçamentos de ruas, fontes públicas, Casa da Prisão, etc... Santo Antônio de Jesus viveu a Abolição da Escravatura, a Proclamação da República e, apesar das dificuldades econômicas daquela época, a cidade não perdeu o vigor do seu desenvolvimento.

No século XX, Santo Antônio de Jesus é marcada pelo desenvolvimento da cidade em todos os sentidos: na parte administrativa, cultural, industrial e, finalmente, comercial, o qual viria, anos mais tarde, a se notabilizar. São fundadas as filarmônicas Amantes da Lira e Carlos Gomes, e a Santa Casa de Misericórdia. Surge a iluminação elétrica com motor movido a lenha. Inauguram se prédios escolares. Entra em circulação durante 52 anos consecutivos o grande jornal "O Paládio", o qual circulava em cinco estados do Brasil.


   
Vista aérea da cidade. Foto: Luciano Almeida

Nessa época também existiam outros pequenos jornais e semanários. Foi feito também um projeto urbanístico com a plantação das palmeiras imperiais paralelas à linha do trem, nas imediações da antiga estação. Em 1931 o nome Santo Antônio de Jesus foi simplificado para Santo Antônio, sete anos depois voltou a vigorar a primeira denominação. Ainda na década de 30, um ilustre santantoniense, Dr. Landulfo Alves de Almeida, foi nomeado o Interventor Federal no Estado, o qual realizou grandes obras na Bahia e construiu o novo prédio da Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Jesus. Nessa época, são notáveis a cultura do fumo e café, e a extração do manganês. Tempo depois vai surgindo a valorização da cultura da laranja. Temos também, com a criação do trio elétrico, a realização de grandes micaretas, inaugurações de clubes, sociedades, etc...

Em 1947 foi criada a comarca de Santo Antônio de Jesus. Com a chegada da BR101 e da luz elétrica definitiva, o município ganha outro grande impulso, tanto que hoje é considerada a cidade do interior mais importante do Recôncavo Baiano.

O município de Santo Antônio de Jesus foi emancipado politicamente no dia 29 de maio de 1880, está situado à margem da BR 101, a 187 km de Salvador (por via terrestre), com extensão territorial de 252 km2 e uma população de 77.368 habitantes, segundo dados do IBGE levantados no último Censo Demográfico de 2000. Delimita-se pelos municípios de Varzedo, Conceição do Almeida, Aratuípe, Laje, Muniz Ferreira, Dom Macedo Costa, Elízio Medrado e São Miguel.


SANTO ANTÔNIO DE JESUS: A Capital do Recôncavo

SAJ, como é chamada carinhosamente, é polo comercial e conhecida como Capital do Recôncavo

Destaque na Bahia, seja pela festa de São João, seja por ser um importante polo comercial, atraindo moradores de diversas regiões do estado, possui cerca de 103.342 habitantes e foi emancipada em 29 de maio de 1880.  A cidade fica a quase 190km de Salvador e é conhecida como “Capital do Recôncavo” por ser uma das maiores da região.

 O Comércio mais barato da Bahia

Na década de 1980, a Associação Comercial iniciou uma campanha de valorização do comércio local, criando o slogan: Santo Antônio de Jesus: O comércio mais barato da Bahia. A iniciativa deu resultado, aumentando o fluxo de visitantes e funcionando como um título, que até hoje representa a cidade em todo o Estado.

É só você dar uma voltinha pela cidade e percebe que nela dá para comprar de tudo. De artigos sofisticados a um comércio popular e acessível para todos, Santo Antônio de Jesus é um grande centro econômico que movimenta milhões, seja em bens de consumo ou serviço.

Em termos econômicos, o município de Santo Antônio de Jesus vive basicamente do comércio e serviços, que vem se fortalecendo cada vez mais como um grande polo comercial, para onde se dirige um grande número de consumidores atraídos pela grande oferta de produtos, dos quais se destacam aqueles do ramo de confecção, móveis e eletrodomésticos.

Quanto à existência de indústrias na região, apenas no ano de 2003, foi inaugurada a primeira grande indústria, do ramo de calçados - sendo recebida pela população local como uma grande promessa de emprego. Sempre houve, no entanto, na região, micro indústrias, voltadas para a produção de fogos e de vassouras. A partir disto a cidade vem recebendo, a passos largos, novas indústrias, possuindo no momento atual dois Distritos Industriais e centenas de indústrias, no ramo de medicamentos, vidros temperados, colchões e estofados, metalurgia, pneus, alimentos, embalagens, café, produtos plásticos, se destacando também na produção de alimentos derivados da fécula de mandioca.

Tratando-se de qualidade de vida, a cidade possui uma posição geográfica privilegiada, próxima a diversas praias do Baixo Sul (Morro de São Paulo) e da Ilha de Itaparica. Nesse sentido, pensando no bem-estar dos moradores, os empresários do ramo imobiliário constantemente investem em condomínios residenciais que proporcionam desenvolvimento sustentável, lazer e valorizam a preservação da área verde.

Fortalecimento social e desenvolvimento local

No cenário de participação social, a atuação das Entidades Empresarias (ACESAJ/CDL/SINCOMSAJ) é um case de sucesso na atuação de forma cooperada, que primando pelo desenvolvimento da região acompanha ativamente ações de controle social dos recursos públicos, envolvendo-se em causas coletivas e que já contribuíram para a materialização de importantes serviços para a população, tais como: a implantação do Hospital Regional, a vinda do curso de Administração da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), instalação do SESC/SENAC, a implantação do primeiro Observatório Social no Norte e Nordeste, ampliação do 1° Distrito Industrial, Construção do 2 º Distrito Industrial, a instalação do IFBA que poderá atender toda a região do Recôncavo Baiano, a transformação do Sub-grupamento do Corpo de Bombeiros em Grupamento, dentre outras ações.

 Índices de Desenvolvimento

O IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – é um estudo do Sistema FIRJAN que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego & renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

Em um estudo levantado pelo IFDM, em 2016, Santo Antônio de Jesus ficou em 4ª lugar, figurando entre os municípios mais desenvolvido do Estado. O levantamento, feito nacionalmente, revelou que os dez municípios mais desenvolvidos do estado da Bahia apresentam nota moderada (entre 0,6 e 0,8). A força do comércio local contribuiu para o bom desempenho da cidade, já que a geração de emprego e a distribuição de renda são analisadas. O serviço de saúde obteve a maior nota, a cidade dispõe de hospitais e clínicas particulares que atendem a população de 47 municípios da região, alcançando mais de 1,5 milhão de pessoas. Santo Antônio de Jesus ultrapassou Salvador em termos de desenvolvimento, enquanto a capital caiu três posições, a “capital do recôncavo” subiu.

Um lugar perfeito para viver

 A Capital do Recôncavo, como popularmente é conhecida à cidade de Santo Antônio de Jesus, nada mais é do que o reflexo do potencial criativo e inovador das pessoas que aqui habitam e trazem os seus empreendimentos. Esse potencial já rendeu diversas matérias à cidade, inclusive a nível nacional, e tem sido um fator preponderante na atração e desenvolvimento dos empreendimentos aqui instalados. A expectativa é que daqui a alguns anos, com a atualização democrática do PDDU, o fortalecimento dos conselhos municipais, com os índices socioeconômicos crescentes do Município, Santo Antônio de Jesus será uma das cidades mais importantes do norte-Nordeste. Um lugar perfeito para viver!

 

 

 

 

 


SANTO ANTÔNIO DE JESUS: O MELHOR SÃO JOÃO DA BAHIA

A maior e mais tradicional festa do interior da Bahia é um grande sucesso. O melhor São João da Bahia atrai multidões, vindas de todos os lugares, envolvidas pelas cores, ritmos e da cultura popular.

 AS FESTAS JUNINAS NO NORDESTE

Depois do Carnaval, possivelmente são as festas juninas as maiores representantes da cultura popular do Brasil. Basta ver as multidões que se reúnem para celebrar adaptada ao calendário católico, que homenageiam três santos, no chamado ciclo joanino. Comemora-se o dia de Santo Antônio, em 13 de junho; São João, no dia 24; e termina com São Pedro, 29 de junho. Santo Antônio prepara suas bênçãos casamenteiras regadas a fogos de artifício, São Pedro abre o céu para presentear a celebração e São João, que batiza a festividade, recebe as homenagens. Esse é o roteiro junino do Nordeste, onde os festejos são uma grande tradição.

São muitas as características que fazem esta época do ano tão gostosa. No mês dos namorados, a festa junina tem como principal tradição os pedidos às santidades na busca pela alma gêmea. Herança que se mantém viva ainda hoje no Nordeste, em especial no município de Santo Antônio de Jesus-BA, que possui como Santo Padroeiro, Santo Antônio, sendo nesta celebração que já se inicia os festejos juninos na cidade.

 OS FESTEJOS JUNINOS EM SANTO ANTÔNIO DE JESUS-BA

 O Melhor São João da Bahia deu resgate as tradições juninas e ao incentivo da cultura local. A festa despertou no público o sentimento de respeito e valorização da cultura por meio da música, teatro, dança e culinária. Sendo superado a cada ano, neste ano a Prefeitura de Santo Antônio de Jesus montou estrutura de ponta, com atrações que fazem sucesso no cenário nacional e local. Com uma festa que começou com o trezenário de Santo Antônio e se estendeu até o São Pedro, a cidade fez jus à tradição de sediar o Melhor São João da Bahia. Foram 26 atrações no palco principal e mais 20 na Vila do Forró.

 Qual a importância do São João na economia da cidade? 

 Santo Antônio de Jesus, desde a sua fundação, tem a sua história associada ao comércio e, atualmente, se consolidou como um importante Centro Comercial, notoriamente reconhecido e referenciado como a grande força do Recôncavo Baiano.

O nascimento dos festejos juninos na cidade também não foi diferente, surgiu através da iniciativa das Entidades Empresariais na década de 90 e destacou a importância da participação das empresas na realização da festa visando o fortalecimento do comércio local e da cidade. Por isso a importância do apoio irrestrito do comércio local, através da campanha junina e do fortalecimento do comércio, trazendo um grande fluxo de turistas para que o evento destaque cada vez mais a cidade de Santo Antônio de Jesus.

Atualmente tem-se discutido sobre o papel do comércio local, como fonte de emprego e renda no desenvolvimento dos municípios, inclusive os municípios pequenos, onde este setor influência diretamente na economia.

Através dos festejos juninos o comércio local se fortalece ainda mais, a cidade aumenta a oferta de empregos à população, contribuindo para o desenvolvimento da própria cidade e para o aprimoramento da mão de obra local. Os empregos e salários gerados pelo comércio local se transformam em bem-estar e qualidade de vida. A população mora melhor e em condições dignas.

  

Parceria entre Entidades Empresariais e Prefeitura de Santo Antônio de Jesus-BA

 Com um histórico de contribuições significativas das Entidades Empresariais (Associação Comercial, Câmara de Dirigentes Lojistas e Sindicato Patronal) no desenvolvimento e fortalecimento do desenvolvimento local, a parceria entre Entidades Empresariais e Prefeitura foi imprescindível para a fomentação dos festejos juninos no município, entendendo que através deste fortalecimento a economia do município também se fortalece, visto que este é um momento que a cidade recebe muitos turistas.  

Desta forma as Entidades Empresariais são recebidas, no início dos preparativos para o São João, de braços abertos pela gestão municipal para discutir as possibilidades de parceria para fomentar o comércio local no período junino e atrair patrocinadores para o São João.

 A festa em 2018...

O São João não poderia ficar devendo, com a responsabilidade de fazer o maior e mais tradicional festejo da cultura nordestina a Prefeitura de Santo Antônio de Jesus, com o tema: O melhor São João da Bahia, levou todos os dias para as ruas milhares de pessoas em busca de diversão embalados por uma programação diversificada, repleta de atrações para todos os gostos. Famílias inteiras celebraram com muita alegria, dançando e se divertindo ao som de grandes artistas de nossa terra e cantores de bandas de renome nacional.

Em um festejo democrático a cidade ofereceu o Forró da Melhor Idade, Forró das Crianças, onde os baixinhos dançaram, brincaram e se esbaldaram com as guloseimas do local: algodão doce e pipoca, entre outros. Animadores também fizeram a festa da criançada com gincanas especiais que premiavam os vencedores com brinquedos. O sucesso da Tenda da Diversidade e do Palco Alternativo também continuou este ano, levando ainda mais diversidade para os festejos. Ao todo, foram 83 atrações locais se apresentando em diversos pontos da cidade, como nos bairros, áreas rurais, praças e até na feira. Santo Antônio de Jesus teve 180 horas entretenimento gratuito espalhados pela cidade.

A cidade, que se consolidou como um dos principais destinos juninos do país, recebeu, em média, diariamente, mais de 100 mil pessoas vindas dos mais diversos lugares do Brasil e contou com cobertura da imprensa local, estadual e nacional. 

Iniciando os festejos no dia 20 de junho, com a presença do Missionário Antônio Cardoso e do Encontro de Sanfoneiros, que finalizou os festejos do padroeiro da cidade, o São João de Santo Antônio de Jesus pegou fogo. Na noite de quinta-feira (21/06), uma multidão esteve presente para prestigiar os shows de Bruno Bastos, Guido Freitas, Virgílio e a atração mais esperada da noite, Henrique e Juliano, que fez o público cantar e dançar juntos os seus sucessos.

O São João de Santo Antônio de Jesus foi um sucesso também na noite de sexta-feira (22/06). O evento contou com grandes nomes tradicionais dos festejos juninos no Nordeste. Os destaques no palco principal foram Os Cumpadi, Verena Santana, Estakazero, Mano Walter, Jerônimo Medeiros e Calcinha Preta. Já a Vila do Forró contou com Forró Balanço, Farol de Milha, Eskema Livre, Nilton Negrão e Forró Paixão.

O forró e o arrocha tomaram conta da penúltima noite do melhor São João da Bahia. O evento contou com shows de Olhar Faceiro, Mister Xote, Flávio José, Joyce França, Devinho Novaes, Dorgival Dantas e Amor Q Fica. A festa rolou até o amanhecer e ninguém ficou parado.

A emoção e o gostinho de “quero mais” prevaleceu no domingo (24/06), última noite dos festejos do São João de Santo Antônio de Jesus. O palco principal contou com shows de Jânio Santana, Flor do Nordeste, Mara Ribeiro, Luan Santana, Juliano do Arcodeon e Tio Barnabé.

 Até 2019...

 Os cinco dias de festa do São João de Santo Antônio de Jesus, deixaram avaliações positivas e boas lembranças ao público. De acordo com a organização cerca de 100 mil pessoas participaram da festa diariamente e curtiram a programação com tranquilidade. Com segurança e estrutura adequada, esta foi uma festa em paz, foi registrado a presença de muitas famílias.

A segurança foi realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar (PM), com a realização de blitz em pontos estratégicos e orientações aos motoristas. No circuito do evento a presença das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e Guardas Municipais garantiram a segurança dos foliões. Também participaram da assistência à festa, equipes de plantão da Secretaria de Saúde com a permanência da unidade móvel de saúde e equipes da Vigilância Sanitária.

Quem também fez avaliações positivas do evento, foram os comerciantes locais, varejistas, donos de bares, restaurantes, pousadas e imóveis alugados para a festa, além dos barraqueiros que comercializaram produtos diversos no circuito.

Pesquisa realizada pelas Entidades Empresariais, com base em pesquisas junto ao SPC e empresários destacaram o aumento de 7,35% no aumento das vendas no município, levando em conta o crediário, à vista e cartões de crédito.

Os setores que foram mais beneficiados neste São João foram: sapatarias, lojas de confecções, lojas de presentes, departamento, posto de combustível, restaurantes, supermercados, hotéis, setor imobiliário com aluguéis de casas, ambulantes, transportes (moto táxi, táxis, vans, e etc.) e nos dias dos jogos do Brasil, diretamente bares e restaurantes.

Todo sucesso acerca do São João criou uma expectativa para o ano de 2019, então agora é guardar a ansiedade no bolso e esperar mais uma vez pelo MELHOR SÃO JOÃO DA BAHIA!


O ENSINO SUPERIOR COMO FATOR DO DESENVOLVIMENTO DE SANTO ANTÔNIO DE JESUS-BA

O ensino superior está vinculado ao setor produtivo, cumprindo funções e tarefas diversificadas, principalmente o de contribuir para o desenvolvimento econômico-social nacional, pela disponibilização de suporte científico e tecnológico. As instituições de ensino superior através de seu papel de ensino, pesquisa e extensão, possui em suas mãos, elementos essenciais para este desenvolvimento. Por sua vez, o setor produtivo, demanda destas instituições, recursos humanos preparados e tecnologia, para serem utilizados no seu dia-a-dia, permitindo que o setor enfrente um ambiente de alta competitividade e globalizado. Outro aspecto importante é o papel do ensino superior como dinamizador das economias locais e regionais onde as mesmas estão instaladas, principalmente no seu entorno, através da geração de emprego e renda, colaborando significativamente no crescimento e desenvolvimento das cidades.

Não obstante, a cidade de Santo Antônio de Jesus-BA, tem-se caracterizado como um polo de crescimento e desenvolvimento, tanto do ensino superior, como econômico, onde tem-se instaladas nas últimas décadas, instituições públicas e privadas de ensino superior, indústrias e prestadores de serviços, as quais têm contribuído significativamente para o destaque no município, no âmbito regional, no que se refere ao desenvolvimento do complexo educacional de nível superior, econômico e social.

Sabendo desta importância, as Entidades Empresarias nunca mediram esforços para o desenvolvimento destas instituições de Ensino Superior no município, como prova disto está a luta e conquista pela implantação do curso de Administração na UNEB (Universidade do Estado da Bahia -Campus V), bem como a instalação do IFBA (Instituto Federal da Bahia) no município, além da constante parceria com a UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia/CCS), FACEMP (Faculdade de Ciências e Empreendedorismo), a faculdade na modalidade EAD, Unifacs e a Faculdade Pitágoras, sendo esta última a mais recente no município.

As Entidades Empresariais, seguindo a linha da importância do ensino superior e a qualificação da mão de obra, além de apoiar a vinda destas instituições para o município, possui convênio com as instituições privadas de ensino superior, sendo elas: FACEMP, UNIFACS e PITÁGORAS. As empresas associadas, possuem descontos especiais para seus funcionários, em todos os cursos ofertados.

Desta forma, existem dois aspectos importantes a serem relacionados ao papel do ensino superior como fator de desenvolvimento. A formação de mão-de-obra qualificada acrescida da disseminação de desenvolvimento tecnológico através da pesquisa e da extensão; e o papel de fomentador e dinamizador de desenvolvimento de serviços necessários à existência e manutenção do meio universitário. E quando o assunto é desenvolvimento, as Entidades Empresariais estão presentes!

Para saber mais sobre o Convênio com as faculdades basta entrar em contato com o setor Comercial das Entidades Empresariais através do número (75)3632-8800.


PROJEÇÃO DE SANTO ANTÔNIO DE JESUS NA CONJUNTURA ECONÔMICA NACIONAL

 

Por Herivaldo Bittencourt Nery
Empresário, corretor de imóveis – CRECI n° 2681 e vice-presidente do Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Santo Antônio de Jesus (SINCOMSAJ).

 

Tradicionalmente reconhecida como o “Comércio Mais Barato da Bahia”, o município de Santo Antônio de Jesus vem trilhando um caminho promissor para a consolidação de níveis elevados de desenvolvimento. Sabe-se que o crescimento qualitativo dos territórios decorre basicamente de duas instâncias distintas e que precisam trabalhar em cooperação, são elas: poder público e sociedade civil. Neste sentido o presente texto abordará uma breve contextualização da situação fiscal e do índice IFDM do município a partir dos dados do sistema FIRJAN, reforçando o papel da sociedade civil organizada na criação de vias alternativas de desenvolvimento e cobrança qualificada dos serviços públicos.
Lançado em 2012 o índice FIRJAN de gestão municipal traz para discussão um tema de grande importância para o país: a forma como os tributos pagos pela sociedade são administrados pelas prefeituras. Este índice é constituído a partir de dados oficiais observando os resultados fiscais das próprias prefeituras e as informações de declaração obrigatória disponibilizadas anualmente pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Após análise, os dados são utilizados para dispor os municípios entre quatro categorias, sendo elas: categoria D (gestão em situação crítica), categoria C (gestão em dificuldade), categoria B (gestão em boa situação fiscal) e categoria A que que corresponde a uma gestão em excelente situação fiscal.
O índice FIRJAN de gestão fiscal 2016 nos mostra que dos 4.688 municípios avaliados, 87,4% encontram-se em situação fiscal difícil ou crítica (conceito C e D), 12 cerca de 1% das cidades brasileiras apresentaram boa situação fiscal (conceito B) e apenas 0,5% foram classificadas como excelente gestão (Conceito A). Santo Antônio de Jesus foi um dos 362 municípios avaliados pelo Índice de Gestão Fiscal – FIRJAN, ocupando a 76ª colocação no ranking estadual com média de 0,4591 correspondente ao conceito C. O indicador
abordado nos apresenta um panorama positivo, pois revela o município em uma colocação a frente de outros 286 no estado da Bahia que foram avaliados pelo Sistema.
Cientes dos problemas tributários da inadimplência fiscal dos municípios em relação as verbas da União, acredita-se que esta é uma colocação insatisfatória, mas com gravidade reparável. Para tanto, se faz necessário que o controle social seja cada vez mais exercido pelos segmentos legítimos da sociedade civil, tais como, conselhos municipais, observatório social e associações.
Em um outro estudo, Santo Antônio de Jesus ficou em 4ª lugar, figurando entre os municípios mais desenvolvido do Estado. O dado foi constatado na apuração do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM). O levantamento, feito nacionalmente, revelou que os dez municípios mais desenvolvidos do estado da Bahia apresentam nota moderada (entre 0,6 e 0,8).
A força do comércio local contribuiu para o bom desempenho da cidade, já que a geração de emprego e a distribuição de renda são analisadas. O serviço de saúde obteve a maior nota, a cidade dispõe de hospitais e clínicas particulares que atendem a população de 47 municípios da região, alcançando mais de 1,5 milhão de pessoas. Santo Antônio de Jesus ultrapassou Salvador em termos de desenvolvimento, enquanto a capital caiu três posições, a “capital do recôncavo” subiu.
O IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – é um outro estudo do Sistema FIRJAN que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego & renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.
Temos no município exemplos singulares de participação social. Neste cenário situamos a atuação das Entidades Empresarias (ACESAJ/CDL/SINCOMSAJ), que é um case de sucesso na atuação de forma cooperada, que primando pelo
desenvolvimento da região acompanha ativamente ações de controle social dos recursos públicos, envolvendo-se em causas coletivas e que já contribuíram para a materialização de importantes serviços para a população, tais como: a implantação do Hospital Regional, a vinda do curso de Administração da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), instalação do SESC/SENAC, a implantação do primeiro Observatório Social no Norte e Nordeste, ampliação do 1° Distrito Industrial, Construção do 2 º Distrito Industrial, a instalação do IFBA que poderá atender toda a região do Recôncavo Baiano, a transformação do Sub-grupamento do Corpo de Bombeiros em Grupamento, dentre outras ações.
De acordo com os dados da SUDIC - Superintendência de Desenvolvimento industrial e Comercial, somente o segundo distrito industrial indicado acima, conseguirá gerar mais de 1.200 postos de trabalho direto, e a retomada das obras em junho deste ano já aqueceu positivamente o comércio local com a compra de matérias para construção e contratação de mão de obra. Hoje o 2º distrito industrial de Santo Antônio de Jesus comporta cerca de 20 empreendimentos em diversos eixos de produção.
Outro ponto importante é o crescimento do setor imobiliário que tem sido destaque na cidade, haja vista que em 10 anos o ramo de compra e venda de imóveis cresceu notoriamente. Assim, vem atraindo cada vez mais novos investimentos, profissionais do setor, o surgimento de diversos condomínios residenciais e o crescimento de imóveis destinados ao setor comercial/serviços contribuíram significativamente para o crescimento imobiliário nos últimos anos.
Tratando-se de qualidade de vida, a cidade possui uma posição geográfica privilegiada, próxima a diversas praias do Baixo Sul (Morro de São Paulo) e da Ilha de Itaparica. Nesse sentido, pensando no bem estar dos moradores, os empresários do ramo imobiliário constantemente investem em condomínios residenciais que proporcionam desenvolvimento sustentável, lazer e valorizam a preservação da área verde.
A Capital do Recôncavo, como popularmente é conhecida à cidade de Santo Antônio de Jesus, nada mais é do que o reflexo do potencial criativo e inovador
das pessoas que aqui habitam e trazem os seus empreendimentos. Esse potencial já rendeu diversas matérias à cidade, inclusive a nível nacional, e tem sido um fator preponderante na atração e desenvolvimento dos empreendimentos aqui instalados. A expectativa é que daqui a alguns anos, com a atualização democrática do PDDU, o fortalecimento dos conselhos municipais, com os índices socioeconômicos crescentes do Município, Santo Antônio de Jesus será uma das cidades mais importantes do norte-Nordeste. Um lugar ideal para morar, perfeito para viver.

.


Contato

© 2018 Espaço Empresarial de Santo Antônio de Jesus . Todos os Direitos Reservados.