Skip links

Coração saudável

Com o desenvolvimento econômico e social ocorrido nas últimas décadas, houve um aumento da proporção de idosos, um maior acesso a alimentos industrializados e uma forte urbanização. É inegável a melhoria das condições de vida da população, porém estamos observando um grande salto nos números de indivíduos hipertensos, obesos, diabéticos, fumantes, sedentários e estressados. Estes fatores isoladamente ou associados contribuem para o aparecimento da doença cardiovascular.

            Cada vez mais estamos cuidando de pessoas vítimas de Infarto, “derrames”, insuficiência renal e doença arterial periférica, com graves seqüelas e grande risco de morte. É preciso investir em saúde antes que a doença se instale e com ela venha a dor, o sofrimento e a perda da qualidade de vida.Vamos manter um coração saudável. A escolha é sua. Quem não conhece uma pessoa sequelada restrita ao leito após um derrame ou um individuo, dito “saudável”, que subitamente faleceu?

            Para prevenir-se da doença cardiovascular é preciso um acompanhamento médico regular com medição da pressão arterial, dosagens de exames como glicemia e colesterol, a prática de exercícios físicos, uma dieta adequada e a busca de uma vida com menos estresse. É lógico que devemos combater o tabagismo e a ingestão elevada de bebidas alcoólicas.     

             A avaliação médica deve ser anual para os indivíduos acima dos 40 anos e trimestral para aqueles portadores de HAS, diabetes e cardiopatias. Exames cardiológicos como eletrocardiograma e teste de esforço devem ser feitos periodicamente mesmo nos assintomáticos. Naqueles com doença já instalada, de acordo com o julgamento médico, exames como ecocardiograma, holter, MAPA, e outros, ajudam no acompanhamento. O uso regular das medicações, como orientado pelo médico, deve ser seguido buscando um controle efetivo dos níveis pressóricos, glicêmicos e do Colesterol.

            Após escolher um médico de sua confiança e seguir as suas orientações, mantenha uma dieta adequada rica em frutas e verduras diminuindo o consumo de alimentos ricos em sal, gordura e açúcar. Pratique exercícios regulares pelo menos 30 minutos quatro vezes por semana, não fume, cuidado com as bebidas alcoólicas, e procure ser feliz dedicando mais tempo para a sua família e para o lazer.

            Arthur Gonzalez, especialista em cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Intensivista do Hospital Aliança, cardiologista e diretor do Instituto de Cardiologia do Recôncavo – INCAR.

 

Sinais de Alerta – A queixa mais comum entre as pessoas com problemas de coração é a dor no peito, braço, queixo ou cabeça, podendo sentir ainda palpitações e perder os sentidos. Em alguns casos, há falta de ar que pode acarretar mudança no tom de pele devido à diminuição de oxigênio nos pulmões. Diante do surgimento de qualquer um destes sintomas a medida mais sensata é buscar uma emergência cardiológica, onde o especialista analisará a situação e fará uma avaliação das medidas terapêuticas, sejam medicamentosas ou cirúrgica a serem tomadas.

 

Por Dr. Arthur Gonzales

Leave a comment

Este site usa cookies para melhorar sua experiência na web.
× Fale conosco